sexta-feira, 1 de abril de 2016

Sobre: a vida, a liberdade, a adversidade, si, (...)

"O coeficiente de adversidade das coisas, em particular, não pode constituir um argumento contra nossa liberdade, porque é por nós, ou seja, pelo posicionamento prévio de um fim, que surge o coeficiente de adversidade. Determinado rochedo, que demonstra profunda resistência se pretendo removê-lo, será ao contrário, preciosa ajuda se quero escalá-lo para contemplar a paisagem. Em si mesmo - se for sequer possível imaginar o que ele é em si mesmo -, o rochedo é neutro, ou seja, espera ser iluminado por um fim de modo a se manifestar como adversário ou auxiliar."
Jean-Paul Sartre
O ser e o nada - Ensaio de ontologia fenomenológica. 23ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014. p. 593-594.


(existo, logo leio, logo penso...)

2 comentários:

Dyego Phablo disse...

Que fantástico!! Tenho que ler mais Sartre! Essa fase concursal da miséria... hehe

Danilo Cruz. disse...

...heheheheh...