quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Para 2016...


Bem... para 2016, valendo-me de Vinicius, ainda que tenhamos qualquer coisa de triste, qualquer coisa que chora, qualquer coisa que sente saudade... um molejo de amor machucado... (1)
É importante cantar que:

"...A tristeza que a gente tem 
Qualquer dia vai se acabar, 
Todos vão sorrir...
Voltou a esperança, 
É o povo que dança, 
Contente da vida, feliz a cantar...
(...)
Porque são tantas coisas azuis,
E há tão grandes promessas de luz, 
Tanto amor para amar de que a gente nem sabe..."(2)

Feliz Natal e Feliz Ano Novo!
________________

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

"Top Seven" do que li em 2015 e como começarei 2016...

Olá amigos,

Fim de ano chegando e como já é tradição aqui no blog, elaborei a lista "top seven" dos melhores livros que li durante o ano que finda. A novidade este ano é que teremos uma lista "top seven" e não mais "top five" podendo conter livros técnicos ou não.

Abraços,

________________________________

Top Seven - 2015 

1.ª lugar - Dom Quixote - Miguel de Cervantes– Editora Penguin - Companhia das Letras.
2.ª lugar - O Dorso do Tigre - Benedito Nunes - Editora 34.
3.ª lugar - Que é a Literatura – Jean-Paul Sartre – Editora Vozes.
4.ª lugar - O Direito de estar só – Paulo José da Costa Jr. – Editora RT.
5.ª lugar - Cândido, ou o Otimismo – Voltaire – Editora Penguin - Companhia das Letras.
6.ª lugar - Direitos Fundamentais - Virgílio Afonso da Silva - Editora Malheiros.
7.ª lugar - A Barata de Martin Heidegger - Yan Marchand - Martins Fontes.

2016 começará com uma odisseia dublinense...


Sobre o direito...


"Envolvido há muitos anos com outras ocupações, esqueci completamente a ciência do direito. Inclusive tinha uma vaga ideia de que a maioria dos homens de hoje já tivessem se emancipado desta fraude. Por desgraça, vejo (..) que esta “ciência” ainda existe e continua produzindo efeitos nefastos. Pela mesma razão, sinto-me honrado de haver tido a oportunidade de manifestar o que penso sobre esta ciência. Creio que sou o único que pensa assim. Não aconselharia os “professores” dos diferentes “direitos”, que tem passado toda a sua vida estudando e ensinando esta mentira e que graças a este ensino criaram tal situação nas universidades e academias, imaginando ingenuamente que, ao ensinar suas “supervivências éticas”, fazem algo importante e útil. Não aconselharia esses senhores que abandonem sua ocupação. Como também não aconselharia os padres, bispos e arcebispos, que também têm dedicado toda sua vida a difundir o que creem necessário e útil. Mas a ti, jovem, e a todos os vossos camaradas, não posso deixar de aconselhar que abandoneis o mais rapidamente possível, antes que os corrompam por completo, antes que o sentido moral se entorpeça inteiramente, essa ocupação não apenas estúpida e embrutecedora, mas prejudicial e depravadora. "
(Carta a um estudante. Sobre o Direito - Liev Tolstói, escrito em 27 de abril de 1909. - Excerto retirado do impecável texto - O ceticismo jurídico de Tolstoi e as mazelas do Direito Brasileiro do Prof. Dr. André Karam Trindade publicado na Revista Conjur.)

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Estou lendo...




A autora faz o relato dos últimos anos da vida de Jean-Paul Sartre, centrado nas reflexões do filósofo acerca da velhice, da morte e de outros temas sensíveis na sua trajetória intelectual. A primeira parte do livro baseia-se no diário pessoal da autora e em vários testemunhos que recolheu. Na segunda parte, uma série de entrevistas com Sartre complementa e ao mesmo tempo amplia as reflexões precedentes.




Como sinopse do livro segue breve excerto (p. 25):




quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Felicitações Natalinas.

Feliz Natal e Próspero 2016!
São meus sinceros votos.

Danilo N. Cruz.


terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Última flor do Lácio, inculta e bela... - O fim da Cosac Naify


Num país em que a corrupção é lastro cultural, não é de espantar que haja uma relação diretamente proporcional entre o aviltamento da coisa pública e da economia e o fechamento de boas editoras...
Foi com muito pesar que recebi a notícia do fechamento da Editora Cosac Naify (link)...
É com muito orgulho que ostento em minha pequena biblioteca as seguintes maravilhas que a Cosac me proporcionou!





domingo, 6 de dezembro de 2015