sábado, 27 de junho de 2015

Estou lendo...



O dorso do tigre - Benedito Nunes


Movendo-se livremente tanto na esfera dos conceitos filosóficos como na via sensível da obra de arte, Benedito Nunes é um caso raro de intelectual. Como observou Antonio Candido, por reunir as qualidades de filósofo e grande crítico literário, o autor traz, para a literatura, um nível de abstração rigorosa poucas vezes alcançado e, para a filosofia, um apurado sentimento estético.

Publicado originalmente em 1969, O dorso do tigre é um marco no horizonte da interpretação literária e da reflexão filosófica entre nós. Nos sete ensaios da primeira parte, o autor analisa algumas das principais contribuições à filosofia contemporânea, entre elas a de Foucault e Heidegger, de que é um dos maiores intérpretes em língua portuguesa. Da segunda parte do livro, constam ensaios que renovaram os estudos sobre Clarice Lispector ("A experiência mística de G. H.", "Linguagem e silêncio"), Guimarães Rosa ("O amor na obra de Guimarães Rosa") e Fernando Pessoa ("Os outros de Fernando Pessoa"), para citar apenas alguns.

No todo, o leitor não deixará de notar o firme compromisso com o trabalho intelectual, a larga erudição e o discernimento profundo no trato com a cultura. Tudo isso não para "domar o esquivo tigre da criação" — como assinala Affonso Ávila em texto incluído como posfácio a esta edição —, mas sim "iluminá-lo pela reflexão crítica, para então compreender, com olhos de inteira lucidez, as cores reais de seu dorso cambiante, o seu exato sentido e destinação".

Nenhum comentário: