quarta-feira, 5 de junho de 2013

Se alguém me perguntasse: Por que ler Dostoiévski? Eu responderia: - Por que não ler Dostoiévski?

 (clique na imagem para ampliar)
 
Até uns três anos atrás a Literatura Russa era para mim algo impensado. Um pré-conceito sobre o abismo cultural entre o que eu costumava ler de Literatura Brasileira e Portuguesa e o que eu imaginava da Literatura Russa mostrava-se como algo intransponível, não obstante eu comungar de um ideal multiculturalista. Então, entra o Direito na conversa.

Lendo um artigo jurídico sobre direitos da personalidade me deparei com algumas notas explicativas de rodapé em que o autor fazia menção à obra Crime e Castigo de Fiódor Mikhailovich Dostoiévski, essas notas me incitaram a buscar, na internet, informações sobre o autor e a obra, por fim, resolvi comprar a versão de bolso editado pela L&PM do livro Crime e Castigo, me debruçando sobre o livro com a devida atenção descobri, a partir daí, um novo horizonte.

A natureza psicológica de seus romances conectaram-se imediatamente com o que eu já havia lido de Albert Camus, Sartre, Nietzsche e Schopenhauer. A visão inegavelmente existencialista revela a preocupação exclusiva de Dostoiévski com o tema único ao qual consagrou a sua força criadora, o homem e o seu destino... para ele o homem é um microcosmo, o centro do ser, um sol em torno do qual tudo se move. Não consegui e ainda não consigo saber se Dostoiévski era um Filósofo-Literato ou um Literato-Filósofo, mas uma coisa eu tenho certeza, ninguém passa intato à sua obra!

Já lí Memórias do Subsolo, Recordações da Casa dos Mortos e Crime e Castigo, assim, diante da necessidade inexorável de mergulhar ainda mais no mundo dostoievskiano adquiri a obra completa editada pela Nova Aguilar, um inestimável tesouro. 

Se alguém me perguntasse: - Por que ler Dostoiévski? 
Eu responderia: - Por que não ler Dostoiévski?

Abraço a todos,

Danilo N. Cruz.


P.S. - Dentro do espírito do post, segue imagem muito legal que colhi do site www.pseudointelectual.com.br

(clique na imagem para ampliar)

4 comentários:

Carla Martins disse...

Interessantíssimo! Parabéns pelo post!

Danilo N. Cruz disse...

Obrigado

Hortência Costa disse...

Notas de rodapé e bibliografias complementares são, além da leitura principal, coisas que me hipnotizam. Sempre faço descobertas incríveis através delas! São mundos paralelos que ampliam nossa visão, quase sempre, sobre temas diversos do relacionado no texto principal. Eu, particularmente, sou fascinada por isso. Muito legal, professor!

Danilo N. Cruz disse...

Feliz por vc ter gostado...