domingo, 24 de março de 2013

Leitura que recomendo - Paulo Ferreira da Cunha e Marco Félix Jobim.

Li e recomendo a leitura do artigo e dos dois livros que adiante seguem.

1 - O artigo "O Direito e o Principezinho" é uma produção do Prof. Paulo Ferreira da Cunha - Catedrático da Universidade do Porto - Portugal

2 - Já os livros, ambos do amigo e distinto Prof. Marco Félix Jobim, são leituras imprescidíveis ao estudioso do direito processual civil. Detentor de uma estilística admirável, seus livros conseguem ser densos em substância (demonstrando séria e aprofundada pesquisa acadêmica) ao tempo que são de leve leitura (denotando um fino trato redacional).

CULTURA, ESCOLAS E FASES METODOLÓGICAS DO PROCESSO


ISBN: 857348764
Edição: 1
Editora: LIVRARIA DO ADVOGADO EDITORA
Autor(es): MARCO FÉLIX JOBIM
Ano da edição: 2011
Acabamento: Brochura
Número de páginas: 125
Formato: 14X21cm
 

SINOPSE:
A obra trata de questões relacionadas ao fator cultural de determinada sociedade ou indivíduo e sua relação com as escolas e fases metodológicas do processo. Aborda, de modo objetivo, as principais escolas de processo que hoje estão em plena ascensão no país, sem esquecer aquelas mais tradicionais que despontam como as mais seguidas pela doutrina nacional. Por fim, trata acerca das fases metodológicas do processo, identificando desde as já ultrapassadas como as mais recentes, defendendo uma nova visão para o processo do século XXI.


O DIREITO À DURAÇÃO RAZOÁVEL DO PROCESSO: RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO EM DECORRÊNCIA DA INTEMPESTIVIDADE PROCESSUAL


ISBN: 857348808
Edição: 2
Editora: LIVRARIA DO ADVOGADO EDITORA
Autor(es): MARCO FÉLIX JOBIM
Ano da edição: 2012
Acabamento: Brochura
Número de páginas: 256
Formato: 16X23 cm
 

SINOPSE 
O texto foi atualizado com obras posteriores à 1ª edição, e também com clássicos sobre o tempo e o direito, como o de Lorenzo Camelli, que contribuiu para uma reflexão sobre as influências do tempo no direito e consequentemente, no processo. O autor adentrou num espaço temporal voltado à área da psicologia com a obra - O paradoxo do tempo: você vive preso ao passado, viciado no presente ou refém do futuro? -, de John Boyd e Philip Zimbardo, estudo que confirma o posicionamento de que a intempestividade do processo deve ser indenizada, pelo Estado, ao prejudicado pelo excesso de tempo de seu processo. Outras tantas obras foram objetos de reflexão para trazer ao público leitor uma 2ª edição mais atualizada nos aspectos relacionados à temática do tempo no e do processo. 

Abraço e boa leitura!

Danilo.

2 comentários:

Dyego Phablo disse...

Prof. li o artigo. Muito bom! Gostei mto daqueles trechos em que o autor do artigo faz uma metáfora com o positivismo. Interessantíssimo! Aquilo deveria ser lido por mais pessoas. Poderiam declarar "repercussão geral" no artigo. rsrs. Abraços.

Danilo N. Cruz disse...

Voto com o relator!
Abraço,
Danilo.