sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Soneto do Amor Achado - Por Fenão Capelo de Amorim Rocha

Com saudosismo incontido publico o sereno "Soneto do Amor Achado" do meu grande amigo Fernão.

Soneto do Amor Achado

No começo, era apenas mais uma
Mas, ao ver teu sorriso, vacilei
Já não existia mais nenhuma
E eu, mais uma vez, te olhei

Quis lhe conhecer, me aproximei
E cada gesto seu me surpreendia
No seu falar, no seu olhar, me fixei
Mas não sabia se você correspondia

O que eu sentia era pura sintonia
Eu pensava, você vinha e falava
Cada vez mais, eu me admirava

E só o seu sorriso, para mim, luzia
Foi então que eu percebi, coitado...
Lá estava eu, bobo: um apaixonado!
Fernão Capelo de Amorim Rocha

3 comentários:

Fernão disse...

Rapaz, eu não sei como você achou esse poema, mas obrigado por prestigiar-me colocando-o no seu blog. Vou passar por aqui mais vezes, assim como espero lhe encontrar com mais frequencia. Abraços, do seu amigão, Fernão Capelo.

Danilo N. Cruz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Danilo N. Cruz disse...

Esteja em casa, meu amigo!