sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

De repente, não mais que de repente...


(...)
 De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente.

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente. 

Oceano Atlântico, a bordo do Highland Patriot, a caminho da Inglaterra, setembro de 1938.

2 comentários:

Carla Martins disse...

De repente... e o que é a vida senão um de repente? Feliz de quem aproveita as parcelas preciosas que a vida nos dá, com toda a riqueza dos momentos infinitos...

Bela citação... e desculpe minha ausência, estou participando de uma edição que tem me tomado bastante tempo, por pouco tempo! Em breve poderei recuperar o atraso das minhas leituras prediletas, dentre elas, seu blog.
Abraço,
Carla.

Danilo N. Cruz disse...

Sinta-se em casa.