terça-feira, 19 de julho de 2011


(...)
E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada,
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

Florbela Espanca

Nenhum comentário: